images/banners/slide1.jpg
Os  colaboradores devem ser treinados até para estocagem de materiais nos canteiros de obras

Na escolha do local de estocagem e na arrumação dos materiais deve-se evitar a obstrução da circulação de pessoas e veículos e de acesso a extintores portáteis de incêndio, quadros ou chaves elétricas e pontos de iluminação. Nenhum material deve ser colocado diretamente sobre o solo ou laje, devido à possibilidade de umidade e infiltrações eventuais, sendo aconselhável colocar-se um estrado, pallets, calços de madeira, camada de tijolos maciços etc, perfeitamente nivelados, sob o material. Os materiais não devem ser depositados em rampas ou passagens provisórias, porque, além de obstruí-las, elas podem não resistir ao peso das cargas. As plataformas de proteção (principal, secundária e terciária) e assoalho de fechamento de aberturas no piso, não devem ser usadas como depósito de materiais, mesmo que provisoriamente. Os materiais não devem ser colocados ou empilhados junto à beiradas de laje (fachada, empena ou abertura no piso), sendo recomendável manter-se um afastamento mínimo, igual à altura da pilha. Os tubos deixados provisoriamente próximos à beiradas de laje, devem estar dispostos perpendicularmente a elas, de maneira a evitar que rolem no sentido da beirada. As pilhas de materiais devem ser feitas e mantidas aprumadas ou em forma de pirâmide, de maneira a evitar seu tombamento. Materiais estocados, tais como: pedra, areia, saibro, entulho, ou empilhados, devem ficar, pelo menos 0,50m (cinqüenta centímetros) afastados de paredes, de modo a evitar pressão lateral excessiva e facilitar o combate a incêndios, em caso de necessidade. empilhamento errado de sacos provoca risco de desabamento, devido à compactação do conteúdo ou deslizamento das camadas. As camadas sucessivas devem ser cruzadas cuidadosamente. Vergalhões, perfis, tubos etc devem ser separados de acordo com suas bitolas e quando não for possível evitar sua estocagem em locais de passagem obrigatória, devem ser construídos degraus provisórios e acessos nas cabeceiras das pilhas. O uso de vergalhões fixados verticalmente para conter uma pilha, deve ser evitado ou ter suas extremidades protegidas, de maneira a evitar ferimentos nos trabalhadores. O empilhamento de madeiras para uso não imediato, deve ser feito sobre base sólida. Os caibros devem ser estocados com espaçadores transversais entre cada camada, da mesma forma que os perfis metálicos. Somente devem ser empilhados juntos, tábuas e caibros de comprimentos aproximados. Os dispositivos utilizados para organizar e estocar os materiais deve possuir resistência compatível com o peso do material estocado, mais uma folga de 50%. Todos devem estar em bom estado, limpos, ordenados e com as capacidades máximas claramente indicadas e sinalizadas. Tubos e canos devem ser estocados de forma que permitam o travamento das pilhas sem risco de rolagem ou queda. A forma de estocagem deve permitir também a utilização de equipamentos móveis de içamento ou talhas para o seu manuseio. É expressamente proibida a estocagem de chapas metálicas, mesmo após curvadas, na vertical. As chapas devem ser estocadas na horizontal, com espaçadores de madeira entre cada chapa para permitir a sua movimentação com maior facilidade. Gases industriais, matérias/fontes radioativas e produtos controlados pelo Ministério do Exército e Polícia Federal requerem locais e condições especiais de estocagem, que serão abordados em documentos específicos. Cuidados especiais de identificação e manuseio devem ser tomados com equipamentos (vasos) que são recebidos diretamente do fabricante pressurizados com nitrogênio para proteção contra corrosão interna. Os materiais mais pesados devem ser estocados o mais perto possível do solo, para reduzir os riscos e as conseqüências em caso de queda. Antes de estocar qualquer material, principalmente os mais pesados ou delicados, devem ser considerados como será feita sua recuperação posterior. Para isto será necessário analisar as capacidades dos equipamentos de içamento e transporte e a compatibilidade das vias para o acesso ao local da armazenagem. Devem existir áreas reservadas para corredores e armazenamento de materiais devidamente demarcadas com faixas brancas. As passagens de pedestres devem estar claramente demarcadas no piso, especialmente nas áreas em que trafegam equipamentos móveis de manuseio de materiais. Inspeção . As áreas de armazenamento de materiais devem ser inspecionadas periodicamente, com ênfase na arrumação, limpeza, estabilidade das pilhas, instalações elétricas, equipamentos de manuseio e içamento, riscos de incêndio e outras condições inseguras. As correções necessárias devem ser implantadas imediatamente.

Publicado emBlog
ATENÇÃO,  Nas atividades de trabalho confira se realmente todos os colaboradores RECÉM ADMITIDO, passaram pelo TREINAMENTO ADMISSIONAL

Só poderemos realizar atividade apos o treinamentoTodo empregado recém admitido deverá passar por um TREINAMENTO ADMISSIONAL antes de inciar as suas atividades de trabalho e deverão  ter como conteúdo itens como: a) informações sobre as condições e meio ambiente de trabalho e os riscos inerentes a sua função; Os riscos ambientais de trabalho podem ser agentes físicos, químicos ou biológicos, riscos de acidentes e riscos ergonômicos, podendo causar danos à saúde do profissional em função da sua natureza, concentração, intensidade, tempo de exposição ou falta de equipamentos de proteção apropriados. Podemos citar alguns exemplos de riscos ambientais: – Agentes físicos: ruídos, vibrações, pressões anormais, temperaturas extremas, radiações, etc. – Agentes químicos: poeiras, fumos, Nevoas , neblinas, gases, vapores que podem ser absorvidos por via respiratória ou através da pele, etc. – Agentes biológicos: bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários, vírus, entre outros. – Riscos Acidentes: arranjo físico inadequado, máquinas e equipamentos sem proteção, ferramentas inadequadas ou defeituosas, Iluminação inadequada, eletricidade, probabilidade de incêndio ou explosão, armazenamento inadequado, animais peçonhentos, entre outras situações de risco que poderão contribuir para a ocorrência de acidentes; – Riscos Ergonômicos: esforço físico intenso, levantamento e transporte manual de peso, exigência de postura inadequada, controle rígido de produtividade, imposição de ritmos excessivos, jornadas de trabalho prolongadas, monotonia e repetitividade, além de outras situações causadoras de stress físico e/ou psíquico. Se o trabalho é realizado em locais onde há a exposição a agentes que podem prejudicar a saúde, a empresa é obrigada por lei, a fornecer gratuitamente equipamentos de proteção individual (EPIs) adequados, orientar e fiscalizar para que os trabalhadores utilizem corretamente estes equipamentos e adotar medidas que diminuam os riscos. E caso a empresa cumpra com suas obrigações, fornecendo e fiscalizando o uso dos equipamentos de proteção, cabe ao trabalhador acatar e cumprir estas determinações. Pois se o trabalhador se negar a usar corretamente os equipamentos de segurança, ele será primeiramente advertido e se continuar se negando a utilizar estes equipamentos, poderá caracterizar falta grave e o profissional pode ser inclusive demitido por justa causa. c) uso adequado dos Equipamentos de Proteção Individual - EPI; Importância do EPI O EPI é importante para proteger os profissionais individualmente, reduzindo qualquer tipo de ameaça ou risco para o trabalhador. O uso dos equipamentos de proteção é determinado por uma norma técnica chamada NR 6, que estabelece que os EPIs sejam fornecidos de forma gratuita ao trabalhador para o desempenho de suas funções dentro da empresa. É obrigação dos supervisores e da empresa garantir que os profissionais façam o uso adequado dos equipamentos de proteção individual. Os EPIs devem ser utilizados durante todo o expediente de trabalho, seguindo todas as determinações da organização.d) informações sobre os Equipamentos de Proteção Coletiva - EPC, existentes no canteiro de obra. Obs: Um EPI que está em evidência atualmente entre as autoridades é o colete a prova de balas, pois durante suas atividades podem ser alvos de atentados como o ocorrido com Jair Bolsonaro no Brasil.  Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC) são equipamentos utilizados para proteção de segurança enquanto um grupo de pessoas realiza determinada tarefa ou atividade. Esses equipamentos não são necessariamente de proteção de um coletivo, muitas vezes, são apenas de uso coletivo, como por exemplo, uma máscara de solda ou um cinto de segurança para alturas. Como o próprio nome diz, os equipamentos de proteção coletiva (EPC) dizem respeito ao coletivo, devendo proteger todos os trabalhadores expostos a determinado risco. Poderá ser um dispositivo, um sistema, ou um meio, fixo ou móvel, diferente do EPI, que serve para proteger somente quem está usando, como por exemplo, luvas, capacete, óculos etc. O equipamento de proteção coletiva protege todos ao mesmo tempo, pois todos observam, usam ou são beneficiados. São exemplos de equipamentos de proteção coletiva:  Proteção de partes móveis de máquinas; Enclausuramento acústico de fontes de ruído;Ventilação dos locais de trabalho;Proteção de partes móveis de máquinas Exaustores para gases e vapores; Tela / grade para proteção de polias, peças ou engrenagens móveis;Ar-condicionado/aquecedor para locais frios; Placas sinalizadoras; Avisos, Sinalizações; Sensores de máquinas; Corrimão; Fitas antiderrapantes de degrau de escada;Ventiladores;Apresentação da ORDEM DE SERVIÇO sobre segurança e medicina do trabalho.Portaria n.º 3.214, de 08/06/78, do MTB. NR-01, itens 1.8 e 1.8.1: 1.8 - Cabe ao empregado: a) Cumprir as disposições legais e regulamentadoras, sobre Segurança e Medicina no Trabalho, inclusive ordem de serviço expedida. pelo empregador; b) Usar o EPI fornecido pelo empregador; c) Submeter-se aos exames médicos previstos nas Normas Regulamentadoras; d) Colaborar com a empresa na aplicação das Normas Regulamentadoras. 1.8.1 - Constitui ato faltoso a recusa injustificada do empregado ao cumprimento do disposto no seu item anterior. NR-06, item 6.7: 6.7 - Obriga-se o empregado, quanto ao EPI a: a) Usá-lo somente para finalidade a que se destina; b) Responsabilizar-se por sua guarda e conservação; c) Comunicar ao empregado qualquer alteração que o tome impróprio para o uso Todas estas recomendações devem estar descritas na ordem de serviços do colaborador que deverá ser assinada pelo posteriormente ao treinamento admissional.

 

Publicado emBlog
Curso NR

Mais Lidas

Como elaborar relatório de ocorrência de acidente de transito, no veículo  a serviço da empresa
Blog Como elaborar relatório de ocorrência de acidente de...
No Brasil os dados são ainda inconsistentes, mas acidentes e doenças do trabalho impactam ...
A utilização incorreta das ferramentas manuais, podem danificá-las e ainda causar lesões aos colaboradores!
Blog A utilização incorreta das ferramentas manuais, podem danificá-las...
É obrigação de o colaborador manter os equipamentos e ferramentas em condições de uso. V...
Nas atividades de trabalho, a utilização dos EPIs, é mais que um dever, é uma obrigação !
Blog Nas atividades de trabalho, a utilização dos EPIs,...
O trabalhador poderá interromper suas atividades quando constatar uma situação de trabalho...
Técnico de segurança do trabalho  e as suas atribuições nos canteiros de obras
Blog Técnico de segurança do trabalho e as...
Independentemente da obrigatoriedade legal, as empresas que executarem atividades deverão ...

Quer receber mais conteúdos brilhantes como esses gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nosso conteúdos por email

O Blog Segurança do Trabalho tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento pessoal e profissional dos seus leitores, visando aborda sobre os mais variados temas no âmbito da segurança e saúde do trabalho, direito trabalhista, direito previdenciário, meio ambiente, comportamento pessoal e profissional, entre outros. Dessa forma, o site vem ganhando seu espaço e reconhecimento.