images/banners/slide1.jpg
NOÇÕES SOBRE A SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA – AIDS, E MEDIDAS DE PREVENÇÃO CIPA

Existem varias atividades de trabalho onde os colaboradores ficam fora de seus domicílios, em outras comunidades e acabam se envolvendo em situações que podem adquirir  por neglicencia a AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida). então está na pauta de treinamento da CIPA, treinamento e orientação dos cipistas para estar repassando para os colaboradores. Durante o período do carnaval a incidência é ainda maior!

A AIDS é uma doença provocada pelo vírus HIV (vírus da imunodeficiência humana). Ele ataca e vai destruindo os mecanismos de defesa do corpo humano, provocando a perda da resistência natural que as pessoas possuem e permitindo o aparecimento de várias outras doenças.

Portanto, PREVINA-SE não cometa  atos inseguros..

Se você está a fim de ficar com alguém, fique. Beije, abrace, amasse. Beijo na boca. Beijo de língua. Isso não faz mal a ninguém. O vírus NÃO se transmite através da saliva, do suor, das lágrimas, de picadas de insetos nem doando sangue. Mas se o clima esquentar, não vacile... Meta a camisinha antes de qualquer outra coisa.

O uso do preservativo, ou como é mais conhecido, a camisinha, é a única maneira segura de evitar a AIDS durante as relações sexuais.Ela impede o contato direto dos órgãos genitais e suas secreções, impossibilitando a contaminação. Prefira as camisinhas que já vêm lubrificadas, pois apresentam menor risco de rompimento. Se preferir, use a camisinha feminina, já a venda nas drogarias. CUIDADO com dentes afiados, unhas compridas, anéis e pulseiras. Eles podem furar a camisinha.

Se você usar a mesma seringa que uma pessoa portadora do vírus usou, você poderá ser contaminado, porque o seu sangue entrará em contato com o sangue contaminado que ficou na seringa e na agulha. Uma picada apenas pode ser suficiente para infectar uma pessoa.Se você abusa do uso de drogas, qualquer que seja, maconha, cocaína, heroína, ecstasy, ou mesmo o álcool, você também corre um grande risco:

DE FICAR DOIDÃO E ESQUECER DE USAR A CAMISINHA...

Não adianta dizer que na hora da ejaculação, ou seja, na hora em que você vai gozar, vai se controlar e tirar... Porque aquele líquido que sai antes da ejaculação pode transmitir o vírus ou ainda só de haver a penetração já ocorrem pequenos ferimentos e há um sangramento que a gente não vê. Mesmo sendo um casal que está junto há algum tempo, deve se conscientizar do uso da camisinha porque um dos dois pode ter pulado a cerca só uma vez, mas pode ter sido o bastante para se infectar ou infectar o parceiro ou parceira. Não abuse da sorte. Depois, não adianta ficar se perguntando mas por que justo eu ?

A gente só vai se contaminar se tiver contato com o sangue contaminado ou com secreções sexuais contaminadas pelo vírus. No homem, o vírus pode estar no sangue, no líquido seminal que sai antes da ejaculação e no esperma. Na mulher, ele pode estar no sangue, nas secreções vaginais, na menstruação e no leite. Você corre um grande risco fazendo sexo anal, oral e vaginal sem camisinha ou usando drogas, compartilhando agulhas e seringas com seus companheiros.

Durante a gravidez e no período de amamentação, a mulher pode transmitir o vírus da AIDS para o bebê. A mulher infectada pelo vírus da AIDS deve evitar ao máximo a gravidez porque as chances da mãe infectar o feto são grandes. Mas, se já engravidou, o risco pode ser reduzido em 98% com o uso de medicamentos gratuitos durante a gravidez, no momento do parto, e associado, também, a administração da mesma droga ao recém nascido por 18 semanas, mas sempre com orientação médica. A transmissão pelo leite materno pode ser evitada com o uso de leite artificial ou de leite humano processado em bancos de leite que fazem aconselhamento e triagem das doadoras.

HIV significa vírus da imunodeficiência humana e é o vírus que provoca a AIDS. A pessoa que foi contaminada pelo HIV é chamada soropositiva. Uma pessoa soropositiva pode parecer perfeitamente saudável, mas pode transmitir a doença. É que o vírus HIV possui um longo período de incubação, ou seja, apesar de estar contaminado com o vírus, o portador não apresenta nenhum sinal ou sintoma, nada que indique o seu estado e pode permanecer assim por vários anos sem que a doença se manifeste.

A maior parte dos casos de mulheres infectadas pelo vírus são das que só tinham um parceiro e acreditavam também serem as únicas parceiras. Pessoas bonitas, atraentes, de boa família, com boa posição social também podem ter AIDS. Antes de agir com a cabeça de baixo, pense com a cabeça de cima e use camisinha em qualquer tipo de relação sexual.

Trabalhador, não troque a sua família, por algumas palavras de amor !

Publicado emBlog
Terça, 11 Dezembro 2018 07:18

MAPA DE RISCO NOS AMBIENTES DE TRABALHO

MAPA DE RISCO NOS AMBIENTES DE TRABALHO

Uma da primeiras coisas que o colaborador deve ter ciência no ambiente de trabalho é sobre o mapa de risco.  É bom que todos os colaboradores tenha conhecimento de desse mapa.

O Mapa de risco é a representação gráfica do reconhecimento dos riscos existentes nos locais de trabalho, por meio de CÍRCULOS  de DIFERENTES  TAMANHOS  e  CORES.

Seu objetivo é informar e conscientizar os trabalhadores pela fácil visualização desses riscos.É um instrumento que pode ajudar a diminuir a ocorrência de acidentes do trabalho, objetivo que interessa aos empresários e aos trabalhadores.

Deve ser feito obrigatoriamente nas empresas que possuem CIPA, segundo a Portaria nº 05 de 17/08/92. A íntegra dessa Portaria foi publicada no Diário Oficial da União de 20/08/92.O Mapa de Riscos é feito pela Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA, após ouvir os trabalhadores de todos os setores produtivos e com orientação do Serviço Especializado em Engenharia e Medicina do Trabalho - SESMT da empresa quando houver.

O mapeamento deve ser feito anualmente, toda vez que se renova a CIPA.Com esta reciclagem cada vez mais trabalhadores aprendem a identificar e registrar graficamente os focos de acidentes nas empresas, contribuindo para sua eliminação ou controle.

A obrigatoriedade do mapeamento de riscos se encontra em pleno vigor.

Cabe ao empregador dar condições para a realização do mapeamento de riscos ambientais afixando-o em local visível.

O MAPA de RISCO será executado pela CIPA, depois de consultados todos setores produtivos da empresa

É importante ter uma planta do local, mas, se não houver condições de conseguir, isto não deverá ser um obstáculo.

Faz-se um desenho simplificado, um esquema ou croqui.

 

  • A CIPA deve familiarizar com a tabela que classifica os Riscos Ambientais.
  • Nessa tabela há CINCO tipos de RISCOS que corresponderão a CINCO CORES diferentes no MAPA.Obs: Geralmente é aquele desenho que ta na parede e ninguém presta atenção.

 

COMO   LEVANTAR  E IDENTIFICAR  OS  RISCOS  

  • A CIPA deverá percorrer as áreas a serem mapeadas com lápis e papel na mão, ouvindo as pessoas acerca de situações de risco de acidentes do trabalho.
  • Sobre esse assunto é importante perguntar aos demais trabalhadores o que incomoda e quanto incomoda, pois isso será importante para se fazer o MAPA.
  • Também é preciso anotar os locais dos riscos informados em cada área.

AVALIAÇÃO  DOS RISCOS  PARA  A  ELABORAÇÃO  DO  MAPA

Nesta fase, faz-se a classificação dos riscos existentes conforme o tipo de agente, de acordo com a tabela .Também se determina o Grau do risco (“tamanho”): Pequeno   -  Médio   -  Grande

  • Com as informações anotadas, os integrantes devem na reunião da CIPA examinar os riscos identificados na entrevista com os trabalhadores.
  • Com as informações anotadas, os integrantes devem na reunião da CIPA examinar os riscos identificados na entrevista com os trabalhadores.
  • Após o estudo dos tipos de riscos, deve-se dividir a fábrica em áreas conforme as diferentes fases da produção.
  • Geralmente isso corresponde às diferentes seções da empresa.

Essa divisão facilitará a identificação dos riscos de acidentes do trabalho. 

  • Não é preciso colocar um círculo para cada um desses agentes.
  • Basta um círculo apenas, neste caso, com a cor verde, dos riscos físicos, desde que os riscos tenham a mesma nocividade.
  • Uma outra situação é a existência de riscos de tipos diferentes num mesmo ponto.
  • Neste caso, divide-se o círculo conforme a quantidade de riscos, em 2, 3, 4,e até 5 partes iguais.
  • Cada parte com sua respectiva cor, este critério é chamado de critério de incidência.
  • Quando um risco afeta a seção inteira por exemplo: Ruído, uma forma de representar isso no MAPA é de o colocar no meio do setor e acrescentar setas nas bordas, indicando que aquele problema se espalha pela área toda.
  • Concluída a elaboração do MAPA, a CIPA deve preencher os quadros do Anexo I, com os riscos encontrados e enviar para a diretoria da empresa.
  • A empresa deverá se manifestar dentro de trinta dias da data de recebimento desses documentos.
  • A realização do MAPA é informada formalmente ao empregador por meio da cópia da ata da  respectiva reunião da CIPA.
  • Após 30 dias ele deverá dizer se cabe adoção das medidas sugeridas pela CIPA para eliminar os focos de risco.
  • Os prazos para adoção das medidas são negociados entre a CIPA e a EMPRESA.
  • O Mapa de Risco deve ficar em local visível para alertar as pessoas que ali trabalham sobre o risco de acidentes em cada ponto marcado.
  • O objetivo do Mapa é conscientizar sobre os riscos e contribuir para a eliminação, redução ou controle.     
FÍSICO São considerados riscos físicos as diversas formas de energia
QUÍMICO:  É o perigo a que determinado indivíduo está exposto ao manipular produtos químicos que podem causar-lhe danos físicos ou prejudicar-lhe a saúde. 
BIOLÓGICO: É o perigo a que determinado indivíduo está exposto ao manipular produtos químicos que podem causar-lhe danos físicos ou prejudicar-lhe a saúde. 
ERGONÔMICO: podem gerar distúrbios psicológicos e fisiológicos e provocar sérios danos à saúde do trabalhador porque produzem alterações no organismo e estado emocional, comprometendo sua produtividade, saúde e segurança
ACIDENTE: são todos os fatores que colocam em perigo o trabalhador ou afetam sua integridade física ou moral. 

Graficamente, isso significa a eliminação do tamanho/quantidade dos círculos.


Também podem ser acrescentados novos círculos, quando por exemplo se começa um novo processo, se constrói uma nova seção na empresa ou se descobre perigos que não foram encontrados quando se fez o primeiro Mapa.

O Mapa portanto é dinâmico.

Os círculos mudam de tamanho, desaparecem ou surgem.

Ele deve ser revisado quando houver modificações importantes que alterem a representação gráfica (círculos) ou no mínimo de ano em ano, a cada nova gestão da CIPA.

 

 

 

Publicado emBlog
UTILIZAÇÃO DOS EPIs RECOMENDADOS PELO EMPREGADOR !

Todos os colaboradores sabem o que são equipamento de proteção individual . Mas em alguns casos o colaborador é obrigado a utilizar equipamentos de outros colegas de trabalho simplesmente porque a empresa não tem estoque de equipamentos suficiente para todos, o que pela legislação trabalhista caracteriza uma não conformidade, porque o próprio nome já diz: Equipamento de proteção individual, ou seja, não pode ser utilizado coletivamente. Se não tem o equipamento disponível para execução da atividade, o colaborador tem o direito a recusar a executar atividade. As empresas têm por obrigação investir na aquisição de equipamento de proteção individual o suficiente para os colaboradores. E ainda ter uma reserva, pois caso haja perda ou dano à empresa tem condições de substituir o equipamento de imediato. As empresas têm a consciência dos riscos que podem causar aos seus colaboradores, na verdade elas precisam deles saudáveis para o bom desempenho das suas funções. Mas se a empresa fornece os equipamentos de proteção individual para os colaboradores e eles não utilizam e em consequência disso se acidentam. Temos a seguinte situação! Se a empresa forneceu o equipamento segurança ao colaborador, se o mesmo foi treinado na sua utilização, assinou o termo de compromisso de guarda e Conservação e limpeza e tomou posse do EPI, e ainda assim se acidentou por não utilizar, a empresa se resguarda do direito de não responder por crime algum. A responsabilidade neste caso é única e exclusivamente do colaborador. Temos de ter a nossa própria consciência dos riscos. Os colaboradores devem sempre procurar pelo responsável pela segurança do trabalho que pode ser um engenheiro de segurança ou técnico de segurança para que os mesmos definam quais os equipamentos de segurança ideais que deverão ser utilizados para cada tipo de função e ambiente. Em situações como o manuseio de produtos químicos que geram aerodispersóides com forte odor, devem-se usar máscaras respiratórias. Temos como exemplo o cimento e a Cal que podem provocar doenças graves, pois esses produtos podem ser absorvidos pela pele ou penetrar através de algum corte superficial. Nas mãos devem utilizar luvas de proteção de acordo com o produto químico a ser manuseado. Nos locais caracterizados como chão de fábrica onde há risco de perfurações cortes por objetos pontiagudos e energização acidental, deve se usar botas apropriadas.Existem locais onde há o risco de queda de materiais como são as operações de cargas e descargas de insumos ou ferramentas para trabalhos sobre andaime. Nestas atividades o ideal é que se utilizem equipamentos como o capacete, óculos e botas preferencialmente fechadas. Nos ambientes de trabalho também temos interferência com ruído que pode ou não está no limite tolerável e temos que estar utilizando os equipamentos de proteção auditiva conforme os recomendados pela empresa que antecipadamente já fez avaliação de ruído e já sabe equipamento que vai atender a necessidade do projeto. Quando o colaborador insiste em não utilizar os equipamentos de segurança como, por exemplo, máscara contra gases, o mesmo está correndo um sério risco de se contaminar pelos produtos manipulados que podem se alojar diretamente nos pulmões.Em outra situação quando ele deixa de utilizar as botas de segurança dependendo da atividade pode queimar quebrar ou ate mesmo ter o pé amputado. Quando colaborador deixa de utilizar uma luva de proteção está sujeito ao risco de desenvolver doenças como dermatite que provoca descamação da pele, ter cortes e até doenças mais graves. Quando colaborador deixa de utilizar As roupas de proteção química onde haja risco contato acidental com produtos químicos ou até a chuva podem eles podem ficar resfriados gripados. Nas atividades de obras civis os colaboradores tem a estranha mania de colocar o capacete sobre um boné, neutralizando a verdadeira função do capacete.Não podemos deixar de usar o protetor auditivo onde haja barulho de máquinas, pois com o tempo nós perdemos uma membrana do tímpano que pode causar a surdez e até nosso apetite sexual pode ser prejudicado. O maior traidor para quem trabalha em uma obra chama-se acidente de trabalho e ele não avisa o dia e nem a hora de pegar um trabalhador desprotegido, afinal qual o cego, surdo, manco, com feridas no corpo, doenças respiratórias e sem apetite sexual tem algum tipo de felicidade na vida. Pense nisso antes de deixar de utilizar os equipamentos de segurança recomendados pela empresa seja o seu chefe te observando ou não a responsabilidade quanto à utilização do equipamento é sua.

Publicado emBlog
Curso NR

Mais Lidas

A utilização incorreta das ferramentas manuais, podem danificá-las e ainda causar lesões aos colaboradores!
Blog A utilização incorreta das ferramentas manuais, podem danificá-las...
É obrigação de o colaborador manter os equipamentos e ferramentas em condições de uso. V...
Nas atividades de trabalho, a utilização dos EPIs, é mais que um dever, é uma obrigação !
Blog Nas atividades de trabalho, a utilização dos EPIs,...
O trabalhador poderá interromper suas atividades quando constatar uma situação de trabalho...
Técnico de segurança do trabalho  e as suas atribuições nos canteiros de obras
Blog Técnico de segurança do trabalho e as...
Independentemente da obrigatoriedade legal, as empresas que executarem atividades deverão ...
Como elaborar relatório de ocorrência de acidente de transito, no veículo  a serviço da empresa
Blog Como elaborar relatório de ocorrência de acidente de...
No Brasil os dados são ainda inconsistentes, mas acidentes e doenças do trabalho impactam ...

Quer receber mais conteúdos brilhantes como esses gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nosso conteúdos por email

O Blog Segurança do Trabalho tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento pessoal e profissional dos seus leitores, visando aborda sobre os mais variados temas no âmbito da segurança e saúde do trabalho, direito trabalhista, direito previdenciário, meio ambiente, comportamento pessoal e profissional, entre outros. Dessa forma, o site vem ganhando seu espaço e reconhecimento.